Efeito da granulometria da dieta sobre o desempenho de suínos

1
2294

A dieta utilizada na criação de suínos está diretamente relacionada com sua taxa de crescimento, eficiência produtiva e principalmente rentabilidade, já que a dieta representa entre 65 a 75% do custo de produção. Vários fatores influenciam a resposta dos animais a dieta, como a sua composição nutricional, os tipos de ingredientes utilizados em cada fase de criação e sua granulometria, entretanto na maioria das vezes suas características físicas são deixadas de lado pelo produtor.
A redução da granulometria da dieta aumenta a área de superfície do grão, permitindo assim uma maior interação com enzimas digestivas. Segundo alguns trabalhos científicos o grau de moagem dos alimentos influencia diretamente nas secreções digestivas e a superfície de exposição para difusão e ação das enzimas tem ação direta na transformação do amido em glicose. Além de aumentar a digestibilidade, a granulometria mais fina favorece o manuseio e as características de mistura da ração. No entanto, moagem mais fina irá aumentar os custos de energia de processamento de alimentos e podem resultar em excesso de problemas por poeira, redução no fluxo em comedouros e aumentar a incidência de úlceras gástricas em suínos.

Desta forma, utilizar granulometria correta resulta em melhor aproveitamento das dietas pelos suínos, proporcionando maior produtividade e rentabilidade ao produtor. Nos tópicos a seguir serão abordados como avaliar a granulometria na dieta, qual granulometria ideal para as diferentes fases de produção de suínos e seu impacto na produtividade dos animais.

Como avaliar a granulometria das dietas

A avaliação da granulometria parece simples, mas é geralmente realizada de forma incorreta. Um conjunto completo de peneiras é necessário (Figura 1), adaptados para a distribuição do tamanho de partícula da amostra. A utilização de poucas peneiras é um erro comum, proporcionando uma maior fração retida apenas em uma das peneiras. Neste caso, não é possível determinar com precisão o diâmetro médio ou a sua distribuição. A percentagem cumulativa é calculada com base no peso total da amostra e o peso retido em cada peneira; em seguida, uma curva de distribuição de tamanho de partícula é desenhada. A curva mostra o tamanho médio de partícula (D50) que é o valor correspondente à fração acumulada de 50%, e a uniformidade de distribuição.

Nutrição Animal - Agroceres Multimix
Figura 1: Conjunto de peneiras em agitador para avaliação de granulometria de dietas

A avaliação da granulometria das dietas deve ser um controle de qualidade de rotina e deve ser incorporado no programa de qualidade na produção de suínos. Algumas diretrizes para o estabelecimento de um programa de monitoramento de tamanho de partícula de rotina devem incluir verificação dos grãos utilizados na dieta após a moagem ou avaliação da dieta completa. As avaliações devem ser realizadas pelo menos, duas vezes por ano e até a cada 60 ou 90 dias para grandes operações.

Granulometria ideal para dieta e seu impacto na produtividade de suínos

No passado, havia grande dúvida sobre o tamanho de partícula ideal em dietas para suínos. Recentemente, uma classificação mais precisa da determinação do tamanho das partículas foi desenvolvida com base no diâmetro geométrico médio medido em microns e o desvio geométrico padrão das médias das partículas ou a sua distribuição.

Um tamanho de partícula alimentar de 700 microns é uma recomendação geral para a fase de creche, crescimento, terminação e lactação, para dietas a base de milho e farelo de soja. Cada redução de 100 micron de tamanho de partícula aumenta a eficiência da alimentação entre 1 a 1,5%, mas também pode aumentar a incidência de úlceras gástricas, reduz a eficiência do moinho de ração, e pode ter um impacto negativo no fluxo de ração dos comedouros.

Nutrição Animal - Agroceres Multimix
Figura 2: Exemplo da granulometria de milho, onde A= 500 micrômetros; B=700 micrômetros; C= 850 micrômetros;

Um estudo da Universidade do Estado de Kansas utilizando suínos na fase de creche demostrou uma melhoria de 4,5% na eficiência alimentar, quando realizado a diminuição do tamanho médio de partícula de 877 para 624 microns usando um moinho de martelos. Estes resultados são consistentes com outros estudos avaliando animais de creche, crescimento e terminação, e indicam que os efeitos de eficiência de alimentação são devidos principalmente à melhoria da digestibilidade dos nutrientes.

Alguns estudos na lactação também têm demonstrado um melhor desempenho com redução do tamanho de partículas da dieta. Wondra (1995b) observaram uma melhoria de 10% no ganho de peso da leitegada (38,1 vs. 34,9 Kg) durante o período de 21 dias de lactação quando porcas foram alimentadas com dietas com um tamanho médio de partícula de 600 mícrons vs. 1.200 microns. Baudon et al. (2003) não observaram melhorias no desempenho da leitegadas, mas porcas em lactação alimentadas com dietas com 600 microns versus 1.500 mícrons, apresentaram maior consumo de ração e água, com retorno ao estro 12 horas mais cedo, e perderam 18% a menos de gordura subcutânea.
Na prática, podemos ter alimentações com um tamanho médio de partícula adequado, mas com uma fração grosseira excessiva (por exemplo, 40% maior do que 1000 mm), que pode prejudicar a digestibilidade. Em tais casos, é aconselhável verificar o sistema de moagem.

Nutrição Animal - Agroceres Multimix
Figura 3: A – Exemplo de uma ração moída mais grossa, onde o risco da separação de partículas é maior, sendo que a composição nutritiva de partículas de tamanho variável não é a mesma. B – Separação ração em diferentes peneiras.

A melhoria da eficiência da utilização dos alimentos nos suínos através da obtenção de uma granulometria adequada das dietas terá um tremendo efeito sobre o custo de produção. O correto controle da granulometria dos ingredientes utilizados nas dietas deve ser incorporado no sistema de produção de suínos, o que pode proporcionar uma redução entre 3 a 8% nos custos de produção pela melhoria na eficiência alimentar das dietas.

A Agroceres Multimix possui em seus modernos laboratórios equipamentos de ponta e profissionais altamente capacitados. Nossas unidades contam com uma estrutura completa para análise dos mais diversos ingredientes e produtos acabados. O controle da qualidade da granulometria das dietas junto aos seus clientes é um mais um serviço oferecido pela empresa. Nossa empresa sabe que cada granja exige um tratamento único e diferenciado. É por isso que oferecemos um pacote completo de soluções. Sabemos que só quem é tratado de maneira única consegue resultados únicos.

Agroceres Multimix. Muito Mais Que Nutrição

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Resolva a conta abaixo *OBRIGATÓRIO