Início Aves de Corte Reflexões do agro: quando abater meu lote de frangos de corte?

Reflexões do agro: quando abater meu lote de frangos de corte?

0
1262
Data: 20.05.2015 Local: São José do Rio Pardo, SP Cliente: DBA / Agroceres Assunto: Granja Grego. Foto: Julio Bittencourt

O melhoramento genético é um dos pilares fundamentais ligados aos avanços de desempenho das aves, assim como nutrição, manejo, sanidade, entre outros.

Em 1960, um frango de 1.60 kg era produzido em 56 dias, sendo necessário 2.25 kg de ração para cada quilo de carne. Em 2010, o peso de abate passou para 2.30 kg aos 41 dias de idade, com uma conversão alimentar média de 1.75 kg/kg (Costa, Garcia e Brene, 2015).

Dessa forma, ao se analisar o avanço do desempenho de frangos de corte em um período de 50 anos, é surpreendente observar a evolução dos resultados, com a produção de um frango:

      • cada vez mais pesado (maior peso corpóreo),
      • mais eficiente (menor conversão alimentar) e
      • criado em um menor espaço de tempo (redução da idade de abate).

A idade de abate influencia na rentabilidade da atividade, uma vez que está ligada ao fluxo de produção, aos custos de produção e ao lucro. Diversos fatores podem interferir na decisão da idade de abate de frangos de corte, contudo, compreender o comportamento do crescimento das aves pode nos auxiliar nesta decisão.

Neste artigo são discutidos a determinação da idade de abate, assim como os fatores que influenciam nessa decisão. E aí fica o questionamento:

Mas afinal, como pode ser determinada a idade do abate de um lote de frangos de corte?

Crescimento das aves

Uma maneira racional de definir essa decisão seria considerando as exigências, ou características desejadas de seu produto para atender à demanda do mercado, mas também visando a maximização do lucro. Por enquanto, deixaremos de lado as exigências da demanda e partiremos do pensamento de maximização de lucro, o que nos permitirá analisar o crescimento da ave ao longo de sua criação, refletir e tirar algumas conclusões.

As reflexões serão realizadas com base na conversão alimentar e o ganho de peso, que são os principais índices que influenciam no custo de produção.

Conversão Alimentar

A conversão alimentar, em um primeiro momento, parece ser um bom parâmetro para se considerar na determinação da idade de abate, uma vez que representa o quanto a ave precisa consumir para ganhar uma unidade de peso (seja em gramas ou quilos). Dessa forma, se considerarmos que a ave seja abatida na idade em que a conversão alimentar é a menor possível, minimizaremos a relação custo ração/carne produzida e, consequentemente, obteremos um maior lucro, certo?

O problema desse raciocínio é que o período de menor conversão alimentar do frango ocorre em seus primeiros dias de vida, e, a partir de então, aumenta ao longo de seu crescimento, conforme a figura 1.

Figura 1. Conversão alimentar acumulada conforme a idade do frango de corte.

conversão alimentar idade de abate do frango
Fonte: Autoria própria. Simulação realizada com base nos dados do manual Cobb 500 (2018).

Dessa forma, torna-se inviável definir a idade de abate, unicamente pela conversão alimentar, resultando em problemas como:

      • maior proporção dos custos fixos dentro dos custos de produção;
      • baixo lucro devido à baixa produção; e
      • o produto final possivelmente não atenderia à demanda.

Portanto, apesar de importante, a conversão alimentar não deve ser considerada isoladamente para se definir a idade de abate.

Ganho de Peso Diário

Por sua vez, o comportamento do ganho de peso diário ao longo da criação do frango de corte se ajusta em uma função quadrática (polinomial de 2º grau), de modo que a taxa de ganho de peso aumenta conforme o crescimento da ave, até atingir uma taxa máxima (Figura 2).

Após essa marca, o ganho de peso começa a declinar, sendo que após atingir a taxa máxima, a tendência é de que a relação entre custo ração/carne produzida se torne cada vez pior.

Figura 2. Ganho de peso diário conforme a idade do frango de corte.

ganho de peso diário idade de abate do frango
Fonte: Autoria própria. Simulação realizada com base nos dados do manual Cobb 500 (2018).

No exemplo utilizado na figura 2, a taxa máxima de ganho de peso é atingida em torno dos 39 dias de idade. Vale ressaltar que pode haver variações dependendo da genética, sexo, condições em que os dados foram coletados, entre outros fatores.

Vargas (2019) determinou que o ganho de peso diário começa a declinar a partir dos 40,6 a 42,7 dias de idade, a depender da linhagem e do sexo do frango de corte.

Exigências do mercado

idade de abate frango

Apesar das considerações acima, que normalmente são válidas quando o produto desejado é a produção e comercialização de carcaça inteira de frangos industriais, a produção deve ser ajustada conforme as exigências do mercado.

Aves menores são almejadas quando o interesse é o frango griller, ou galeto, podendo ser abatido com 21 a 28 dias de idade. Além disso, há países que possuem a preferência por carcaças menores, de modo que o abate aos 35 dias de idade é o suficiente para atender esse mercado.

Por outro lado, frangos destinados a produtos industrializados, o frango natalino (Chester), ou mesmo os frangos caipiras, necessitam de um tempo maior de criação. Para a produção de produtos industrializados à base de frango, as aves podem ser abatidas com 49 dias de idade.

Com relação aos frangos caipiras, dependendo da linhagem, é possível realizar o abate a partir de 90 dias de idade. Já o frango Chester, seu período de criação é de 60 dias de idade, em média.

Considerações finais sobre a idade de abate

A idade de abate deve ser baseada nas exigências e interesses do mercado que se pretende atingir. Contudo, a análise do comportamento do crescimento de frango de corte pode contribuir para essa decisão.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Resolva a conta abaixo *OBRIGATÓRIO