Início Aves de Corte Manejo do Frango de Corte na Fase Inicial

Manejo do Frango de Corte na Fase Inicial

0
2889
fase inicial

O ciclo curto da produção de frango de corte comercial moderno, até 45 dias, impõe a necessidade de um cuidado minucioso e específico em cada fase de produção. Dentre as fases do ciclo produtivo a fase inicial requer atenção especial, pois é uma etapa em que as aves são extremamente frágeis, representando mais de 30% do total da vida das mesmas, e perdas podem comprometer o desempenho do lote até o final do ciclo produtivo.

Para que a produção de frangos de corte ocorra dentro dos parâmetros de desempenho zootécnico esperados, diversas medidas devem ser adotadas na fase inicial de criação.

As medidas se iniciam no incubatório, passam pelo transporte adequado e se estendem para o alojamento no galpão, que deve ser adequadamente preparado para a recepção dos pintinhos antes mesmo da sua chegada.

Cuidados no Transporte do incubatório a granja

O incubatório e a granja são unidades produtivas distintas. Desse modo, ao nascimento, as aves precisam deixar o incubatório e serem transportadas até a granja.

O transporte deve ser feito de modo a evitar o estresse das aves, prevenindo o aumento da suscetibilidade dos pintinhos às infecções e, por sua vez, o aumento da mortalidade precoce, além de potenciais impactos na conversão alimentar, taxa de crescimento, rendimento e sistema imunológico.

O veículo de transporte dos pintos de 1 dia deve estar devidamente limpo e desinfetado, possuir controle de temperatura e umidade no ambiente de carga, tanto para aquecimento quanto para arrefecimento.

O caminhão deverá ser pré-aquecido ou resfriado, a depender da necessidade, antes do início do carregamento. É ideal que a faixa de temperatura correta seja alcançada antes que a primeira caixa de pintinhos seja carregada, sendo que a umidade também deve ser observada e ajustada em 65 a 70%.

Os pintos de 1 dia podem ser transportados em caixas de plástico ou de papelão, observando-se a densidade em cada caixa. Uma ferramenta utilizada é o papelão corrugado no fundo da caixa, seja ela de plástico ou de papelão, para evitar problemas nas articulações dos pintinhos, que podem escorregar durante o transporte.

A temperatura dentro das caixas deve ser de aproximadamente 32°C, podendo ser alcançada com uma temperatura do ar do veículo a 24°C para caixas de plástico, ou 20°C para caixas de papelão. Os pintinhos devem estar completamente secos antes de serem carregados no caminhão.

pintos de um dia fase inicial
Aves que estão com calor ficam barulhentas e ofegantes numa tentativa de perder calor (Dicas de Incubação 2020 Aviagen)
pintos de um dia fase inicial
Aves com frio se aglomeram numa tentativa de se manter aquecidas (Dicas de Incubação 2020 Aviagen)

Ao carregar o caminhão, deve-se evitar choques ou movimentos bruscos, bem como inclinação das caixas. Esses movimentos podem causar empilhamento, ou aprisionamento dos pintinhos, resultando em morte por asfixia ou lesões.

Ao empilhar as caixas deve-se deixar espaços entre elas para a circulação do ar. O horário do transporte também influencia no conforto dos animais, sendo recomendado transportar os pintos de 1 dia nos horários mais frescos do dia, preferencialmente no início da manhã.

Além disso, a granja deverá ser informada com antecedência sobre o horário previsto para chegada das aves, podendo melhor se preparar para o momento do recebimento e alojamento. Para viagens longas, em estradas em más condições ou dias muito quentes, é recomendado reduzir a densidade de estocagem por caixa para melhor conforto dos pintainhos.

Os pintos de 1 dia, ao serem transportados entre o incubatório e a granja, são submetidos a jejum alimentar e hídrico. É sabido que o jejum prolongado nessa etapa pode retardar o desenvolvimento das microvilosidades intestinais, o que, consequentemente, irá impactar na eficiência alimentar das aves durante todo o período de produção.

Por isso, é de grande importância para o sucesso da produção, avaliar bem:

        • as distâncias entre granja e incubatório,
        • o melhor horário para realizar o transporte em termos de condições ambientais e trânsito.

Vale ressaltar que os pintos possuem saco vitelino, que é a principal fonte nutritiva para o desenvolvimento do embrião e é utilizado também nos primeiros dias após a eclosão. Quanto maior o tempo decorrido entre a eclosão (incubatório) e o início da ingestão de alimento e água (chegada na granja), maior a dependência do pintinho a essa reserva.

Preparação pré alojamento

alojamento de pintos de um dia fase inicial
Manejo do Frango de Corte na Fase Inicial

A preparação para o recebimento das aves inicia-se com a saída do lote anterior. Após a saída das aves é realizado o vazio sanitário, com a limpeza e desinfecção do galpão e o manejo correto de reutilização da cama. O galpão deverá estar devidamente preparado para o alojamento e alguns pontos específicos devem ser observados em relação a alimentação e água, ambiência, cama e equipamentos.

Antes da chegada dos pintinhos, todos os equipamentos devem ser regulados e seu funcionamento checado. Como equipamentos entende-se comedouros, bebedouros, ventiladores/exautores, sistemas de aquecimento e sensores diversos.

Frangos de corte, durante sua fase inicial de vida, não possuem seu sistema termorregulador completamente desenvolvido. Por isso, é necessário que a temperatura ambiente do galpão esteja adequada às necessidades das aves.

Outro ponto importante é que os pintinhos possuem maior relação superfície/massa, o que aumenta a perda de calor e reforça a necessidade de ter um ambiente aquecido. Independentemente do tipo de aquecedor utilizado nas granjas, seja com lenha, diesel, gás ou outros, deve ser acionado antes da chegada dos pintinhos.

A intenção é manter as aves na zona de conforto térmico já no momento da chegada no galpão. Vale ressaltar que a necessidade térmica das aves vai reduzindo com o seu crescimento e desenvolvimento:

        • frangos de corte de 1 e 2 dias de idade necessitam de um ambiente com temperatura do ar em torno de 32°C,
        • já no final do ciclo produtivo, aos 42 dias de idade, a temperatura da zona de conforto térmico cai para 18°C.

Apesar do aquecimento ser um ponto crítico para evitar estresse por frio, vale ressaltar que o estresse por calor também é prejudicial. Por isso, manter a temperatura do ar dentro da zona de conforto térmico é importante para o sucesso da produção.

Além da temperatura, a umidade do ar é um fator importante para o alojamento correto das aves. É importante que a umidade relativa do ar, no momento do alojamento, esteja entre 60 e 70%. A umidade do ar em níveis corretos é um dos fatores que evita a desidratação das aves e auxilia na regulação térmica das mesmas.

A qualidade do ar também deve ser observada durante o alojamento. Para evitar a perda de calor e manter a qualidade do ar adequada durante o alojamento, é recomendado a ventilação higiênica, em que a troca do ar é mínima para:

        • manter qualidade,
        • retirar poeiras, CO2, odores, amônia e demais gases tóxicos
        • mantendo os níveis de temperatura e umidade ideais no interior das instalações.

No momento do alojamento as aves não são distribuídas em toda a área do galpão. Para otimizar o aquecimento, evitar flutuações de temperatura e facilitar o manejo das aves, apenas uma área do galpão é designada para uso no alojamento.

pré-alojamento pitos de um dia
Arquivo Agroceres Multimix – Manejo do Frango de Corte na Fase Inicial

Com o uso de lonas ou cortinas duplas, uma área do galpão é delimitada para o alojamento dos pintos de 1 dia. No momento da distribuição das aves é importante avaliar a qualidade dos pintinhos (para aprofundar nessa avaliação assista ao vídeo explicativo).

Na chegada dos pintos de 1 dia, os comedouros e bebedouros devem estar abastecidos. Além disso, recomenda-se colocar papéis sobre a cama e, sobre eles, ração. Assim, as aves terão maior facilidade nos primeiros momentos para encontrar a comida.

O papel deve cobrir um mínimo de 50% da área de alojamento. Bebedouros e comedouros suplementares podem ser usados para aumentar os pontos de acesso a água e alimento. Para estimular o consumo de água é recomendado molhar o bico das aves nos bebedouros.

Iluminação

A iluminação é uma poderosa ferramenta para controle de muitos processos fisiológicos e comportamentais. A luz permite que a ave sincronize muitas funções essenciais, incluindo a temperatura corporal e várias etapas metabólicas que facilitam a alimentação e a digestão.

A luz estimula os padrões secretores de vários hormônios que controlam, em grande parte, o crescimento, a maturação e a reprodução das aves. Ao considerar os programas de iluminação como uma ferramenta de gerenciamento, tanto a intensidade quanto a duração da luz são fatores a serem considerados.

Um programa de iluminação para frangos de corte geralmente estabelece uma intensidade de luz entre 30 e 40 lux, com 23h de luz e 1h de escuro do primeiro ao sexto dia de idade. Após esse período a intensidade luminosa e a quantidade de horas de luz será reduzida e só voltará a aumentar nos dias anteriores ao abate.

São diversos os programas de iluminação que podem ser usados na criação de frangos de corte, os manuais das linhagens disponibilizam algumas opções. Na chegada das aves a iluminação tem o objetivo de estimular o consumo de água e ração, o que auxiliará no crescimento das aves e ajuda na adaptação das aves ao novo ambiente.

Cama

cama aviário
Manejo do Frango de Corte na Fase Inicial

A cama do aviário interfere diretamente no bem-estar e na sanidade do lote, assim, uma cama bem manejada é imprescindível para o sucesso da produção de frangos de corte.

Na chegada das aves a cama deve estar espalhada de forma homogênea, de forma a cobrir todo o perímetro do galpão e possuir uma altura mínima de 5 cm. Além disso, a cama deverá estar aquecida, por isso o aquecimento deve ser acionado com antecedência.

A cama poderá ser nova ou reutilizada, desde que manejada corretamente durante o período de limpeza, desinfecção e vazio sanitário. A cama ideal deve possuir algumas características, como:

        • capacidade de absorver a umidade
        • bom isolamento térmico do piso
        • capacidade de amortecimento
        • umidade em torno de 20-25%
        • baixo custo
        • disponibilidade na região
        • livre de patógenos, dentre outros.

Alguns exemplos de materiais que podem ser utilizados para cama de aviário são a maravalha, casca de café e casca de arroz, por exemplo.

Como foi observado, são diversos os detalhes a serem observados durante o alojamento das aves, o que torna imprescindível uma visita técnica de pré-alojamento. Uma vez que o manejo é executado corretamente na fase inicial de criação aumenta-se as chances de se produzir um lote com ótimo desempenho zootécnico e lucrativo para o produtor.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Resolva a conta abaixo *OBRIGATÓRIO