Pré-incubação: manejo correto dos ovos férteis neste período.

O consumo brasileiro – per capita – de carne de frango é aproximadamente de 43 kg, ficando à frente do consumo das carnes bovina e suína que é de 37 e 14 kg, respectivamente.

Dados da secretaria de estado de agricultura, pecuária e abastecimento de Minas Gerais relatam que o consumo per capita de carne de frango no Brasil teve um acréscimo próximo de 32% nos últimos 16 anos.

Segundo relatório da FAO (Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura) haverá uma expansão no consumo da carne frango nas próximas décadas, principalmente em países que são fortes produtores de grãos como o Brasil e Estados Unidos. A previsão é de uma ampliação de 16% na produção mundial de carnes. A carne de frango será líder nesse crescimento até 2025, considerando-se seu ciclo de produção curto que proporciona resposta imediata às oscilações da demanda do mercado consumidor. A evolução genética, aliada às tecnologias de produção e nutrição, são fatores importantes no atendimento dessa demanda. Além disso, a evolução de manejo das aves e dos ovos férteis tem um peso elevado na obtenção de índices zootécnicos satisfatórios.

A produção de pintos de corte de 1 dia inicia-se na granja de matrizes, onde são produzidos os ovos férteis, sendo estes enviados para a unidade de incubação, onde serão incubados, e os pintos nascidos manejados e enviados para a granja de frango de corte para engorda.

 O manejo dos ovos férteis no período entre a colheita na granja e sua incubação, ou período pré-incubação, possui um elevado peso no atendimento da demanda mundial de carne de frango.

O custo do pinto produzido é composto por uma parte fixa (prédio, incubadoras, nascedouros, ninhos, comedouros, etc.) e outra parte variável (mão de obra, energia, ração etc.), sendo assim, quanto maior o número de pintos eclodidos, menor será o custo final do pinto produzido. Diante dessa situação, manejar os ovos férteis no período pré-incubação exige cuidados, evitando-se que os rendimentos zootécnicos e econômico da incubação sejam afetados por fatores externos. A seguir serão enumerados e comentados pontos importantes no período pré-incubação:

pré-incubação

  • Coleta dos ovos férteis na granja

Teoricamente, os ovos férteis devem ser fumigados até 2 horas após sua a postura, evitando-se a contaminação do seu meio interno pelas bactérias – eventualmente – contidas na casca. Seguir fielmente essa regra, na prática, é quase impossível, devido ao volume elevado de ovos produzidos ao longo do dia em um galpão de matrizes pesadas; sendo assim, recomenda-se que esses ovos sejam colhidos 6 a 8 vezes por dia e submetidos imediatamente ao processo de fumigação, evitando-se a sua contaminação. Nos lotes de matrizes com idade abaixo de 40 semanas, o consumo total de ração deve sempre ocorrer antes da coleta de maior número de ovos férteis, observada no período da manhã. Esse detalhe de arraçoamento reduz a quantidade de ovos colocados no piso do galpão pelas matrizes pesadas.

 

  • Desinfecção dos ovos férteis

Imediatamente após a coleta dos ovos, esses serão submetidos ao processo de desinfecção com paraformol. Além de determinar exatamente o volume de paraformol a ser utilizado por m³ de fumigador, deve-se obter uma ambiência ideal para a realização do processo de fumigação: temperatura de 28°C e umidade acima de 60%. O tempo de exposição dos ovos férteis ao gás de paraformol não deverá exceder a 20 minutos; em seguida, a exaustão desse gás do meio interno do fumigador deverá ser realizada em, no máximo, 10 minutos. A retirada dos ovos férteis do fumigador deverá ser realizada imediatamente após o término do processo de exaustão. A permanência desses ovos por períodos prolongados dentro do fumigador, mesmo após a realização do processo de exaustão, será causa de perdas embrionárias nas fases iniciais do procedimento de incubação.

 

  • Armazenamento dos ovos férteis na granja

Após a fumigação, os ovos férteis serão mantidos sob temperatura ambiente abaixo do ponto de zero fisiológico (22°C), evitando-se o desenvolvimento celular do embrião; e umidade acima de 80%, reduzindo a desidratação do ovo fértil e, consequente, do embrião contido no seu interior.  É importante evitar oscilações na ambiência dessa sala durante a permanência dos ovos férteis para diminuir as perdas embrionárias até o 7° dia da incubação.

 

  • Transporte dos ovos férteis da granja para o incubatório

O transporte dos ovos férteis para o incubatório deve ser realizado em caminhão baú adequadamente climatizado. A ambiência do baú deverá ser uma extensão da ambiência da sala de ovos da granja, evitando-se oscilações e ocorrência de choque térmico sobre o ovo fértil e, consequentemente, a morte do embrião durante seu transporte para o incubatório. A manutenção da estrada e do caminhão (molas, calibragem de pneus, freios, etc.) é extremamente importante para evitar perdas dos ovos férteis por quebras ou ocorrência de trincas em sua casca. O caminhão deverá ser conduzido por pessoa treinada, e conscientizada da importância quanto ao transporte de ovos férteis, para que o faça de maneira cautelosa. Portanto, o treinamento dos motoristas é fundamental para manter o percentual de perdas de ovos, por trincas ou quebras durante o transporte, próximo de zero.

 

  • Sala de ovos do incubatório (recebimento, manejo e preparo da carga de incubação)

A sala de ovos é responsável por receber os ovos férteis enviados pela granja, classificá-los, armazená-los e prepará-los para a incubação. A classificação consiste em retirar os ovos com defeitos de casca, tamanhos inadequados, etc. Os ovos férteis incubáveis serão classificados por tamanho ou peso, identificados (lote, tipo e data de produção) e colocados nos carrinhos de incubação. Esses carrinhos carregados serão enviados a uma sala com ambiência adequada para o armazenamento.

  • Armazenamento dos ovos férteis incubáveis na sala fria

Essa é uma etapa na qual deve-se manter um acompanhamento de hora em hora das variáveis: temperatura e umidade, que são os principais parâmetros do fator “ambiência” da sala fria ou armazenamento. As temperaturas devem ser decrescentes com o aumento da permanência dos ovos na sala fria. Abaixo, uma sugestão de ambiência para sala fria de acordo com tempo de armazenamento:

 

Tabela1. Sugestão de ambiência de sala fria para armazenamento de ovos férteis

Armazenamento – dias

Temperatura – °C

% Umidade

< 4

 22

81

5 – 8

18

81

> 8

16

81

 

Recomenda-se, durante a permanência dos ovos férteis na sala fria, realizar a viragem das bandejas dos carrinhos (45°), de hora em hora, para evitar que os embriões tenham contato direto com as membranas internas da casca, o que resultará em aderências e morte.

Ovos férteis com período de armazenamento abaixo de 6 dias possuem perdas insignificantes em sua eclodibilidade; a partir do 7º dia, deve-se subtrair um ponto percentual na taxa de eclosão para cada dia acrescentado no período de armazenamento desses ovos.

Os ovos férteis devem permanecer em descanso por 3 dias na sala fria, antes de serem incubados, pois esse é o período necessário para que ocorra a gelatinização e o alcance de pH = 9, essenciais para realização das trocas gasosas entre o meio interno e externo do ovo fértil dentro das incubadoras, e a obtenção adequada do  desenvolvimento embrionário.

 

  • Preparo da carga de ovos férteis para incubação

O preparo da carga de ovos férteis para incubação deve considerar a idade das matrizes, tamanho e tempo de armazenamento dos ovos férteis e ambiência interna das incubadoras. Embora a tecnologia atual tenha reduzido os problemas de microclimas interno das incubadoras, verifica-se ainda pequenas diferenças de temperatura em suas diversas posições. Essas diferenças podem ser minimizadas, considerando-se o período de incubação dos ovos férteis. Sabemos que dentro de um mesmo lote de matrizes, os ovos menores possuem período de incubação menor que os ovos maiores; à medida que o período de armazenamento se estende, ocorre um aumento do período de incubação dos ovos férteis; ovos férteis originados de lotes no início e final de postura têm período de incubação maiores que aqueles originados de lotes de matrizes de idade mediana. Uma boa estratégia para reduzir essas diferenças é o posicionamento dos ovos férteis nos carrinhos de incubação. Como regra geral, deve-se colocar os ovos com períodos de incubação maiores nos microclimas das incubadoras com temperatura um pouco mais quentes (partes superior e posterior das incubadoras), para que ocorra um reequilíbrio no desenvolvimento embrionário durante o período de incubação, resultando em um nascimento dos pintos mais uniforme durante o período de eclosão.

 

  • Pré-incubação

Finalizado o período antes da incubação, a carga de ovos férteis será enviada para uma sala com ambiência controlada, onde permanecerá por 6 a 8 horas antes da colocação dos carrinhos com os ovos nas incubadoras. A temperatura dessa sala deverá ser de 28°C. A determinação da umidade da sala de pré-incubação poderá obedecer a seguinte regra geral: a umidade da sala de pré-incubação será reduzida em três pontos percentuais para cada 1°C de acréscimo na temperatura dessa sala, em relação à temperatura da sala onde estavam armazenados os ovos.

Tabela 2. Sugestão de ambiência de sala de pré-incubação, considerando a ambiência da sala de armazenamento dos ovos férteis

Temperatura (°C)

% Umidade

Sala Fria

Sala de Pré incubação

Sala Fria

Sala de Pré-incubação

18

20

80

74

18

25

80

59

A redução da umidade na sala de pré-incubação é importante, pois evitará a ocorrência da precipitação do vapor de água do ambiente sobre a casca dos ovos durante o procedimento de pré-incubação. A presença de gotículas de água na casca dos ovos incubáveis propiciará o carreamento de bactérias do meio externo para o meio interno desses ovos, aumentando sua perda de eclodibilidade por contaminação bacteriana durante o procedimento de incubação. Após o período de pré-incubação, os ovos férteis estarão preparados para serem enviados à incubadora, onde ocorrerá todo o desenvolvimento embrionário.

A segmentação do setor da avicultura de corte é necessária para atender a demanda crescente mundial de carne de frango. A avicultura de corte exige uma elevada eficiência. O tema desse artigo abordou uma parte do processo de produção de pintos de 1 dia, sendo esse o elo entre a produção de ovos férteis na granja e sua incubação. Qualquer falha nessa fase, assim como em qualquer outra fase do procedimento de produção de ovos férteis e pintos de 1 dia, propiciará que fatores externos tenham influência negativa no rendimento de incubação e, consequentemente, redução na disponibilidade de carne de frango para atender o mercado consumidor mundial.

Nutrição Animal – Agroceres Multimix

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui